Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

a noite

a noite desabou
cidade eterna
repleta de silêncio
e mistério
minha alma notívaga
anseia por tuas palavras

ninfas
sibilas
tragam-me
em sonho
a doçura de sua
fala e mala.

a noite desabou
sobre mim
meus medos
os trovões da infância
a infame ira
dos desalmados

a noite
é tão triste sem ela
como
o poema
voz do meu querer



Nenhum comentário:

Postar um comentário