Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de julho de 2014

crença



sou um homem
de coração noturno
soturno como as madrugadas
frias

repleto de silêncios

...por ti
canta
sinuoso
o rio da minha terra

o fumo
na minha boca
fumaça
rubrica
teu nome no ar

...lá fora
o dia me chama

Nenhum comentário:

Postar um comentário