Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Páscoa

Páscoa

E, de repente, abriu-se o imenso mar;
Atrás, a dor, à frente uma esperança;
Da escravidão, somente uma lembrança,
Porém muito deserto a caminhar.

Mais tarde rola a pedra singular.
Eis que surge, do Pai, nova aliança:
O Filho nos concede como herança,
Um lugar lá no céu onde morar.

Novamente, porém, a caminhada
Torna-se necessária e perigosa.
Mas o Mestre deixou, na longa estrada,

As marcas de uma cruz vitoriosa.
E disse: - É só seguir minhas pegadas
Que a casa encontrareis esplendorosa.


Gilsos Faustino Lopoes

Nenhum comentário:

Postar um comentário