Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

MURICY REVISITED

uma cidade não cabe em livro
por mais livre que seja
livro e cidade

não se traça uma cidade
com seus anos em conta
sua gasta geografia
não se conta uma cidade
pela mão da poesia
não se pinta uma cidade
com papel e tinta

(leit-motiv)

O POEMA NÃO CALA
BERRA
FALA


pálida te sinto cidade
cálida te vejo cidade


(Chão Usual)

o rio
os troços
os destroços

manhãs
mormaços
gasta bandeira
cana-bananeira


extasiadas as mornas
horas
na desordem dos dias


Murici
tudo em ti
tão parca poesia





in chão usual
cícero gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário