Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de novembro de 2010

o calo do vinho

Mas Liber chama seu poeta, ele tambem protege os amantes e favorece os amores que a ele próprio inflamam


      Ovídio



O adeus dos sonhos



Os sonhos iam viajar. Helena ia até a estação de trem.
Da plataforma, dizia adeus aos sonhos com um lencinho.

A função da arte


Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar.
  Viajaram até o sul.

  Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.

    Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar,
o mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta imensidão do mar, e tanto o seu fulgor,
que o menino ficou mudo de beleza.
   E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando pediu ao pai:
    __Me ajuda a olhar!



       (eduardo galeano)

Nenhum comentário:

Postar um comentário