Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de novembro de 2010

mulher

De saia flutuante
Maria, onde vais tão de repente

ou vais ao rio lavar a rede, ou vais 'a esquina vender a alma
alma, que alma
quem vende o que já não lhe pertence
De Antonio, de José, de Pedro
Maria dos peões,Maria sem um peão.
Maria que de flutuante tem a alma e as saias.
Dona  menina, como vencer as ondas deste Araguaia
quando as ondas de dentro já romperam todas as barragens
e inundaram todas as comportas!
Maria das marias que grita na praia!
Maria, Maria não vais de repente.
Ou vais atar a rede ao rio, ou rio não há

Dona menina, quem fostes
Maria sem saias flutuantes, Maria das marias, dos peões ,das ondas,
das esquinas, das praias!
Maria que atou a rede nas ondas do rio e dorme placidamente





    (salve ricardo rezende)

Nenhum comentário:

Postar um comentário