Pesquisar este blog

sábado, 27 de novembro de 2010

Amor ao Rio

agora que sangras pra valer,
teu sangue é fruto
de erros do passado,Rio
Tão belo
e por tanto tempo abandonado
quando nas mãos de pífios
governantes.
Amo-te Rio,
mesmo não te conhecendo
e de ti
apenas sabendo ao longe.
Não é o Rio apenas
que sangra.
Sangra o povo brasileiro
nas balelas impressas
do discurso oficial.
Sangram nossos filhos
ao açoite das drogas
neste país da mentira oficial.
Amo o Rio
como tambem amo
todos os podres do nordeste tragados
pelo crack
e pela omissão.
O Rio
sangra
como há muito tempo
sangra
toda nação

Um comentário:

  1. Como essa guerra começou? O sangue derramado, corpos pelo chão, e o pedido de paz daqueles que foram sugados pra essa guerra... tudo isso vai acabar quando? Parabéns pela poesia, e sorte e paz ai no Rio!

    ResponderExcluir